Veganismo e pressão alta

Estudos mostram que vegetarianos e adeptos do veganismo, em particular, têm pressão sanguínea mais baixa do que as pessoas que consomem carnes e produtos de origem animal.

Frutas em uma tigela em formato de coração representam o veganismo no combate à pressão alta
Imagem: Unsplash

a Hipertensão é um problema de saúde global

A pressão arterial alta é um fator de risco significativo para doenças cardíacas, derrames e insuficiência renal. Como no caso do diabetes tipo 2, é frequentemente declarada uma enfermidade “bomba-relógio”. E o apelido não é à toa: metade das mortes por doenças cardiovasculares no Brasil, cerca de 200 mil ao ano, resulta direta ou indiretamente de pessoas que sofrem de hipertensão, de acordo com a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo. Estimativas apontam que 36 milhões de adultos brasileiros têm pressão alta e, entre os idosos, a porcentagem chega a 60%.

No estudo Global Burden of Disease 2010, a hipertensão arterial foi identificada como o fator de risco número um em todo o mundo para mortes ou anos de vida reajustados à diversas incapacidades.

O que os estudos sobre VEGANISMO E pressão alta nos dizem?

  • Em março de 2018, o Journal of Clinical Cardiology publicou resultados de um estudo no qual pacientes eram colocados em uma dieta à base de vegetais por 4 semanas, com a exclusão de todos os produtos de origem animal. Eles observaram uma redução significativa na pressão arterial, bem como redução no colesterol e outros marcadores de doenças cardiovasculares. (1)
  • Um estudo de 2017 examinou as evidências de uma dieta à base de plantas e o gerenciamento da hipertensão arterial, e chegou à conclusão que “consumir uma dieta baseada principalmente ou exclusivamente em plantas mostra-se favorável para a prevenção e tratamento da hipertensão”. (2)
  • Em novembro de 2016, a Academia de Nutrição e Dietética, maior organização mundial de profissionais de nutrição, divulgou sua posição sobre as dietas vegetariana e vegana, concluindo que:

“É a posição da Academia de Nutrição e Dietética, que dietas vegetarianas e veganas bem planejadas são saudáveis, nutricionalmente adequadas e podem proporcionar benefícios à saúde para a prevenção e tratamento de certas doenças. Essas dietas são apropriadas para todas as etapas do ciclo de vida, incluindo gravidez, lactação, infância, adolescência, idade adulta e para atletas. As dietas à base de plantas são mais sustentáveis do que as dietas ricas em produtos animais porque utilizam menos recursos naturais e estão associadas a muito menos danos ambientais.

Os vegetarianos e veganos correm risco reduzido de certas condições de saúde, incluindo doenças cardíacas isquêmicas, diabetes tipo 2, hipertensão, certos tipos de câncer e obesidade. Baixo consumo de gordura saturada e alto consumo de vegetais, frutas, grãos integrais, legumes, produtos de soja, nozes e sementes (todos ricos em fibras e fitoquímicos) são características das dietas vegetarianas e veganas que produzem níveis mais baixos de colesterol total e lipoproteínas de baixa densidade, e melhor controle da glicose no soro. Estes fatores contribuem para a redução de doenças crônicas. Os veganos precisam de fontes confiáveis de vitamina B-12, tais como alimentos fortificados ou suplementos”.

  • Em 2014, uma meta-análise publicada no Journal of the American Medical Association mostrou que “o consumo de dietas vegetarianas está associado a uma pressão sanguínea mais baixa”. Tais dietas poderiam ser um meio não-farmacológico útil para reduzir a pressão arterial. A meta-análise utiliza uma abordagem estatística para combinar os resultados de múltiplos estudos.
  • Em 2012, um estudo transversal em Saúde Pública e Nutrição comparou a pressão arterial de não-vegetarianos, semi-vegetarianos, pescetarianos e veganos. Os resultados mostraram que os veganos tinham o menor risco para pressão arterial alta. Também mostrou que, cada passo na mudança da dieta, eventualmente reduzindo os produtos animais a zero (veganismo), resultava em menor risco para a hipertensão.

Adotar o veganismo de forma consciente e saudável pode ajudar a reduzir a pressão alta, combater a obesidade, o diabetes, além de outras doenças crônicas, trazendo melhor qualidade de vida para você e sua família.

Fontes:

Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp).

(1) Najjar RS, Moore CE, Montgomery BD. A defined, plant‐based diet utilized in an outpatient cardiovascular clinic effectively treats hypercholesterolemia and hypertension and reduces medications. Clin Cardiol. 2018;41:307–313. https://doi.org/10.1002/clc.22863

(2) Alexander S, Ostfeld RJ, Allen K, Williams KA. A plant-based diet and hypertension. Journal of Geriatric Cardiology : JGC. 2017;14(5):327-330. doi:10.11909/j.issn.1671-5411.2017.05.014.

Pronto para assumir o compromisso Veganuary?

Veganuary, o maior movimento vegano do mundo, inspira pessoas a experimentarem o veganismo no mês de janeiro e todos os meses do ano.